Sejam bem-vindos ao Pop Creature. Tudo sobre cinema, música e games você encontra aqui!
Acompanhe-nos em nossas redes sociais

“Boneco de Neve”, um dos piores filmes do ano.

Primeiro, preciso dizer que sempre que vou ao cinema esqueço toda essa “besteirada” de notas baixas, críticas negativas e tudo mais. Tento manter a mente aberta e não ir com muitas expectativas. Quase nunca consigo, claro, porque a hype me pega, mas com “Boneco de Neve” (The Snowman) até que consegui, porque assisti ao trailer apenas uma vez e tentei ficar por fora do que estavam soltando sobre o filme por aí. Eis que chegou o tão esperado dia de assistir e pronto, aqui estou para contar pra vocês o que achei da adaptação do bestseller de Jo Nesbø.

Assim que as luzes se apagam e o filme começa a ser exibido você, que sabe o mínimo da história, já espera por um suspense bacana, mas logo nos primeiros minutos eu posso dizer que já fiquei entediado com as atuações, que fazem com que momentos que eram pra ser emocionantes e marcantes na trama, sejam nada mais, nada menos que desprezíveis.

O filme tenta, sem sucesso, se mostrar denso e complexo com o passar dos minutos, e nem a presença do grande Michael Fassbender consegue mascarar o tom clichê e estúpido que “Boneco de Neve” mostra em tela. As cenas são desconexas, os personagens são superficiais e nada é tão profundo quanto deveria ser.

Além de Fassbender, Rebeca Ferguson (A Garota no Trem), Charlotte Gainsbourg (Ninfomaníaca), J.K. Simmons (Wiplash), Jamie Clayton (Sense8) e inúmeros outros nomes de peso formam o elenco do longa, mas nada disso muda o fato de que, ao terminar de assistir “Boneco de Neve“, você vai querer de volta o dinheiro que pagou no ingresso.

Com 1h59min de duração, “Boneco de Neve” é arrastado e entediante, mas ótimo pra quem quer aprender a jogar fora uma boa premissa e encher um filme de clichês e cenas desconexas. Pra mim, um dos piores do ano, sem sombra de dúvidas.

Boneco de Neve” tem estreia marcada para 23 de novembro no Brasil e contará com a distribuição da Universal Pictures.

Escrito por Marcelo Rogério

Geek, carioca, idealizador do Pop Creature, amante de raposas e Lana Del Rey e colecionador assíduo - vulgo viciado - de blu-rays e Funko!