Sejam bem-vindos ao Pop Creature. Tudo sobre cinema, música e games você encontra aqui!
Acompanhe-nos em nossas redes sociais

“Jogo Perigoso” é um deleite aos sedentos por adaptações cinematográficas de boa qualidade

Jogo Perigoso“, a nova adaptação cinematográfica do livro homônimo do mestre Stephen King lançada pela Netflix, já chegou ao catálogo do serviço de streaming.

O filme conta com um elenco pequeno, porém interessantíssimo, liderado por Carla Gugino – eterna Dra. Gorski, de “Sucker Punch” -, no papel da protagonista Jessie, uma mulher que tem enfrentado dificuldades no relacionamento com o marido Gerald Burlingame (Bruce Greenwood), com quem está casada há 11 anos.

Gerald resolve passar o fim de semana com Jessie na casa do lago para que ambos tentem se reconectar sexualmente como nos velhos tempos, porém é aí que a história começa a desandar e Jessie se vê presa em uma situação sem escapatória em que seu passado e presente se encontram para decidir o seu futuro.

Jogo Perigoso” (Gerald’s Game) tem pouco mais de 1h30m de duração e isso é o suficiente para que, logo nos primeiros minutos de filme, o espectador se conecte com Jessie e percorra por todo o filme torcendo e apoiando-a em suas escolhas e ilusões.

Há momentos em que o coração dispara, o ar fica escasso e a boca seca enquanto Jessie tenta se livrar da situação na qual está presa e a imersão por conta da fotografia é tanta que nós nos vemos lá, junto à ela, sem escapatória. Em alguns takes a câmera dá closes nos rosto dos personagens e isso cria uma tensão enorme!

A dualidade de Carla Gugino em sua atuação é de encher os olhos e espantar. A atriz consegue caminhar entre a sanidade e a loucura em questão de segundos. Claro que os takes ajudam, mas parece que estamos vendo duas pessoas completamente diferentes em tela quando, na verdade, vemos apenas Carla Gugino em seu melhor momento.

GERALDS-GAME

Diferente das histórias óbvias que vêm à nossa mente quando pensamos em Stephen King, “Jogo Perigoso” nos entrega algo completamente fora do sobrenatural e, mesmo que as expectativas sejam por ele, o rumo tomado surpreende e conquista.

Há tanta coisa em nosso mundo para se ter medo, que o sobrenatural as vezes nem é necessário, mas acabamos criando ele para que possamos fugir e é isso que o filme explora, mostrando os medos de Jessie.

Jogo Perigoso” é um banquete de medos reais batidos com uma bela lição de moral e um toque de roteiro bem escrito que fazem com que a receita saia perfeita no final.

4,5 estrelas

Escrito por Marcelo Rogério

Geek, carioca, idealizador do Pop Creature, amante de raposas e Lana Del Rey e colecionador assíduo - vulgo viciado - de blu-rays e Funko!