Connect with us

Pop Creature

Pop Creature

Episódio final de “Sharp Objects” funciona como um soco bem dado no estômago

Crítica

Episódio final de “Sharp Objects” funciona como um soco bem dado no estômago

Que “Sharp Objects” seria uma série de sucesso, todo mundo sabia desde que Ammy Adams foi anunciada como protagonista e, por por toda a hype, resolvi assistir. Felizmente me apaixonei logo no primeiro episódio, como vocês podem conferir nas PRIMEIRAS IMPRESSÕES que publiquei aqui no blog, e não consegui mais parar de acompanhar.

Conforme os episódios passavam, minha curiosidade aumentava até que, finalmente, o último episódio da minissérie foi exibido no HBO. Eu esperava por tudo, menos pelo que foi mostrado em tela, e por isso resolvi vir aqui compartilhar com vocês um pouco da minha percepção geral da temporada.

Sharp Objects” acompanha Camille, a personagem de Ammy Adams, em uma jornada jornalística em Wind Gap, Missouri, atrás de pistas sobre a morte de algumas adolescentes pela cidade. Lá, Camille começa a ser assombrada por memórias do seu passado, e também por sua mãe superprotetora, Adora, que nunca aceitou muito bem as decisões de sua filha.

Conforme a história passa, somos apresentados a diversos personagens que, por sua vez, acrescentam ótimas pitadas de mistério à trama. Cada um deles carrega seus segredos e, na visão do espectador, todos tem potencial para serem suspeitos do grande crime da série.

Camille, Adora e Amma – esta última, irmã mais nova de Camille -, funcionam como as grandes protagonistas da trama que acompanha as 3 diferentes gerações de mulheres, cada uma com sua personalidade e princípios diante da sociedade na qual vivem.

Como uma minissérie de praticamente 8 horas, “Sharp Objects” tem o tempo necessário para explorar os costumes e moradores de Wind Gap e aprofundar seus personagens o suficiente pra que o espectador se sufoque com tanta informação e nenhuma solução.

Camille carrega consigo ótimas cenas em que o espectador fica sem fôlego, sem saber o que fazer, porque tudo é absurdamente triste e impactante com relação à sua história. Ela sofreu e todo seu sofrimento é mostrado em tela, assim como seus cortes pelo corpo, marcas estas que ela cravou em si mesma, cada uma com um significado de acordo com os acontecimentos de sua vida.

Adora traz à trama o padrão de mulher perfeita, ou pelo menos a tentativa de mostrar aos moradores de Wind Gap a superioridade e a família perfeita. Ela transita entre mocinha e vilã em muitos momentos da série, até que descobrimos suas verdadeiras intenções, a superproteção de uma mãe e uma vida de aparências. Patricia Clarkson faz um ótimo trabalho ao entregar um pouco de insanidade e crueldade misturadas em uma única personagem.

Amma representa a nova geração de mulheres que não dão chance para o machismo e fazem o que bem entendem. A personagem, muito bem interpretada por Eliza Scanlen, gosta de estar no controle como fala no episódio 6, “Cherry“. Em muitos dos episódios ela passa despercebida, como qualquer outra adolescente da série, andando de patins por Wind Gap, até que tudo muda e a relação dela com Camille começa a ficar cada vez mais intrigante.

Reunindo essas três personagens em uma das tramas mais incríveis dos últimos tempos, “Sharp Objects” mostra de maneira certeira o sofrimento das mulheres com relação ao sexismo em diferentes gerações. Todas elas sofrem, mas cada uma age de maneira distinta para que a situação mude, ou não.

Os acontecimentos crescem conforme os episódios passam e a sensação de sufoco se instala, SIM, por saber tudo e ao mesmo tempo não saber nada. “Sharp Objects” segura as pontas e todos os segredos até O ÚLTIMO SEGUNDO. De verdade, é uma cena seca e tão cortante quanto o nome da série. Pesada e inesquecível.

Após ela e alguns segundos de créditos, tudo piora. BOOM! Mais uma cena. Daquelas que você não acredita que tá assistindo. Daquelas difíceis de engolir.

Você acha que acabou. Mais alguns segundos se passam e MAIS UMA. Dessa vez, fazendo relação a um fato já apresentado na série. Descobrimos, então, que tínhamos visto uma das cenas pela visão deturpada pela bebida que Camille tinha tomado, mas a verdade bota tudo em jogo. Todos os segredos, que já haviam sido revelados, são confirmados. Um soco no seu estômago… E MORREU.

Você. As meninas de Wind Gap. E “Sharp Objects“. Acabou.

Comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Crítica

To Top
Este post foi visto 379 vez(es).