Connect with us

Pop Creature

Pop Creature

“Kesha: Rainbow – O Filme” une realidade e ficção!

Crítica

“Kesha: Rainbow – O Filme” une realidade e ficção!

Falar sobre Kesha é uma tarefa tanto fácil, quanto difícil pra mim. Em 2010, aos meus 15 anos de idade, ouvi pela primeira vez “TiK ToK” e fiquei apaixonado pelo ritmo, pela letra e por toda a loucura que ela carregava consigo. Em seguida conheci “Animal”, seu primeiro álbum de estúdio, e logo me tornei fã. A partir daí, não conseguia tirar meus olhos dela e em 2011 tive a oportunidade de vê-la no Rock in Rio, bem de pertinho.

Nessa época, inúmeros problemas me atingiram; Aceitação, preconceito, depressão e várias outras coisas passavam pela minha cabeça e pela minha vida, mas ao mesmo tempo, tinha um álbum inteiro cheio de músicas maravilhosas que me faziam “esquecer” das coisas pelo menos por alguns minutos e enxergar glitter e arco-íris em tudo!

Kesha foi importante pra mim e, por isso, é fácil e difícil falar dela, principalmente quando o assunto é O QUE ELA PASSOU, porque infelizmente não tenho o poder de tirar o peso de cima dela, como ela tirou de cima de mim na época que precisei, masssssss tô aqui pra contar um pouquinho do que achei do seu novo filme “Kesha: Rainbow“.

Lançado hoje (10) com exclusividade para iPhones, iPads, iPods, iTUDO da Apple, o filme-documentário-fictício “Kesha: Rainbow – O Filme” conta um pouco da história da cantora pós aquele problemão todo com “Aquele-que-não-deve-ser-nomeado”, mas que vou nomear sim – porque ele é um escroto e todo mundo deve saber disso -, Dr. Luke.

O filme, que tem pouco mais de 30min de duração, mistura cenas reais e fictícias de forma absolutamente emocionante, mostrando – como a própria Kesha diz – “O arco-íris que aparece depois da tempestade”. Mas até chegar ao RAINBOW, vemos a batalha da cantora sendo colocada em tela, tanto com takes documentados pela sua família, quanto com takes ensaiados para contar uma história.

Tudo é incrivelmente bem dirigido e roteirizado pela própria Kesha e o filme é tão redondinho que a mensagem é clara desde seu primeiro segundo, até seu último momento. A fotografia e os efeitos visuais também ajudam bastante na comoção, transformando takes comuns em cenas completamente comoventes. É impossível conter as lágrimas!

Eu só espero que “Kesha: Rainbow – O Filme” seja liberado em outras plataformas, não somente na Apple Music, porque o mundo precisa ver – aqui, ali e em todo o lugar – que nenhuma mulher pode ser calada e Kesha tá aí como exemplo.

Kesha: Rainbow – O Filme” pode ser assistido em todas as plataformas da Apple para assinantes da Apple Music.

Comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Crítica

To Top
Este post foi visto 398 vez(es).