Connect with us

Pop Creature

Pop Creature

“Megatubarão” é uma mega decepção para os fãs do gênero!

Cinema

“Megatubarão” é uma mega decepção para os fãs do gênero!

“Megatubarão” é uma mega decepção para os fãs do gênero!

Se tem um tipo de filme que compra muito a galera e tem potencial para divertir horrores, são os de bicho gigante querendo comer gente. O cinema tá cheio de bons exemplares do gênero, “Tubarão” tá aí como um clássico do cinema e o mais recente “Águas Rasas” também não fez feio, e isso só citando os de tubarão. Nessa leva ainda temos jacarés, cobras e afins…

Independente da qualidade, todos tem um potencial gigantesco para fazer a galera sorrir e ter um momento legal para esquecer a vida. “Megatubarão” veio cheio de malemolência para entrar nesse hall exótico da sétima arte, e toda a sua divulgação deixava claro que aqui a coisa seria bagaceira, com a promessa de um filme sem pudores e que faria a galera sair do cinema satisfeito por ter visto algo propositalmente exagerado e sem a menor intenção de ter alguma seriedade. Pois é amigos, ledo engano, e no momento eu to aqui rindo, mas é de nervoso.

A história (sim, existe uma aqui!), acompanha o personagem de Jason Statham, Jonas Taylor, um mergulhador que após uma tragédia pessoal, chega à conclusão que existe um ser gigante vivendo nas profundezas do oceano. Claro que ninguém acredita no gostosão e assim os anos passam, até que um belo dia um grupo de biólogos e pesquisadores descobrem que ele pode não estar tão errado assim, já que um tubarão pré-histórico despertou de seu sono milenar e tá louco pra sair espalhando o caos e destruição nesse marzão que Deus criou.

É inevitável não criar expectativas em cima de “Megatubarão” se você é um fã do gênero e adora esses filmes descerebrados onde o único propósito é o de entreter, não é verdade? Dá pra fazer um milhão de coisas com essa premissa; Dá pra colocar o danado pra comer todo o tipo de ser vivo e também dá pra levar a galera ao delírio com um monte de cenas frenéticas e lotadas de suspense, afinal, se tem algo que bota medo em 95% da população mundial é a imensidão e escuridão do fundo do mar. Dito isso, acho que já consigo deixar claro que “Megatubarão” me decepcionou bastante, tudo isso por um simples motivo: ele se leva a sério até demais!

Essa escolha faz com que boa parte do seu propósito se perca em meio a uma trama que enrola bastante até chegar no ponto que deveria. Adiciona nesse lenga-lenga um bando de personagens que estão ali para absolutamente nada, fazendo piadas que beiram a vergonha alheia e um ritmo inconstante que cria uma expectativa de que uma hora a merda vai pro ventilador de vez, mas que em nenhum momento de fato chega a explodir de uma maneira onde que faça a gente pensar: “Caramba, que daora!”.

Confesso que fiquei entediado durante boa parte do filme e isso chega a ser um crime numa produção do tipo. Caramba, a gente já viu o tubarão no trailer, pra que enrolar pra ele dar as caras? QUEM PAGA PARA VER ESSE TIPO DE FILME QUER VER SANGUE!

Apesar do diretor Jon Turteltaub (A Lenda do Tesouro Perdido) mostrar um grande domínio nas cenas de ação, tem como grande obstáculo a baixa censura da produção, que o obrigou a amenizar todas as cenas mais violentas e limitar a tensão a perseguições aquáticas que não chegam de fato a nos empolgar e que acabam levando a lugar nenhum, com uma repetição de acontecimentos que demonstram bastante falta de criatividade. Basicamente o filme todo é baseado em gente caindo na água e sendo resgatada, só a Ruby Rose (XXX: Reativado) caiu do barco e saiu intacta, estilosíssima, umas três vezes. Qual o problema de botar esse povo pra sofrer? Não sei vocês, mas eu quero ver todo mundo morrendo da forma mais bizarra possível.

Juro, se tem quatro mortes no filme todo é muito! Morre mais peixe do que gente durante as quase 2 horas de duração e isso é bem decepcionante. Poxa, a gente quer ver sangue. A gente quer ver perna sendo mastigada! Mas além disso não acontecer, quando algo acontece é de uma maneira bem básica e sem emoção. Coisa que, diga-se de passagem, faz muita falta em “Megatubarão“. O que vemos é basicamente um filme de ação típico do Jason Statham (Os Mercenários) e por mais que tenha um ou outro momento bacaninha, eles não são suficientes para elevar a diversão que a gente espera quando compra a ideia que nos passaram. Até o megalodonte, que pelo trailer parece ser imenso, em alguns momentos soa até que bonitinho para uma criatura demoníaca e pré-histórica.

Enfim, estou muito chateado por falar todas essas coisas. Eu realmente queria ter amado tudo isso e em diversos momentos me vi forçando a entrar na onda, mas não rolou. “Megatubarão” é um filme que não me empolgou e apesar de ter uma ou outra cena que a gente pensa “Agora vai!”, não entrega tudo o que a trama poderia dar.

Gente, é um filme de tubarão gigante! Ninguém no mundo espera algo sério vindo dessa ideia e infelizmente os roteiristas resolveram ir contra esse conceito, realizando uma produção até que bem feitinha, mas que decepciona por não proporcionar nem um pouco do caos que todo o seu marketing prometeu e muito menos toda a violência e diversão que eu (e até arrisco dizer, nós) esperava.

Eu prometi para mim mesmo que não ia fazer esse trocadilho, mas aqui estou… e que MEGA DECEPÇÃO, viu?

Comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Cinema

To Top
Este post foi visto 347 vez(es).