Connect with us

Pop Creature

Pop Creature

Primeiras impressões sobre “After”

Cinema

Primeiras impressões sobre “After”

Primeiras impressões sobre “After”

A convite da Diamond Films Brasil pude assistir à cenas exclusivas de “After“, adaptação cinematográfica do livro homônimo, escrito por Anna Todd.

Não irei entrar em detalhes sobre o livro porque não sou fã, não li e não considero ler porque passa longe do meu tipo de leitura, mas isso não me abalou em momento algum. Pesquisei o básico sobre a trama e fui de mente aberta assistir às tais cenas exclusivas, que mostraram dois momentos do filme e totalizaram 10 minutos de duração.

Claro que considero e levo em conta o amor de um fã por toda e qualquer obra que seja, mas mais uma vez, não sou fã e tô aqui pra analisar O FILME e o que vi na tela do cinema, ok? Pois bem…

Com todas as informações sobre sinopse, trama, elenco e tal na cabeça, assisti e vou contar pra vocês, DE-TES-TEI. Mas porquê? Vamos lá!

O que martelou na minha cabeça desde o primeiro minuto foram os diálogos completamente infantis. Até pensei “Ah, mas é pra um público mais teen, né?”, mas aí uma própria fã veio no meu Twitter dizer que “After” não é filme de adolescente, e sim de adulto. “New-adult“, como diz o Google se você procurar. Ok. Anotado, more.

Só que me diz em qual universo os diálogos da vida são iguais aos exibidos nos 10 minutos que assisti? Porque, olha, foi complicado engolir. Se isso é ser adulto, acho que cresci errado.

Todas as falas eram chatas, nada cativantes, e infantis, mas bem infantis mesmo, nível “Ninguém do Ensino Médio ou da Faculdade fala coisas do tipo”.

A protagonista, Josephine Langford, parece uma boa atriz – não conheço outros trabalhos dela -, mas acho que no papel de Tessa não vai conseguir desenvolver nada bacana pra carreira, a não ser dinheiro no bolso, porque fanbase já percebi que “After” tem.

Na cena da festa a coisa até flui. A galera bebendo, pá-pum… e a Tessa chega no quarto de Hardin, o protagonista, interpretado pelo Hero Fiennes-Tiffin. Aí vai tudo por água a baixo porque é nesse momento que os diálogos começam a ficar toscos. Não tenho outra palavra pra descrever, porque se alguém chegasse pra mim e dissesse as coisas que o Hardin diz pra Tessa, eu iria rir da cara da pessoa! HAHA Mas sei lá, as teenagers de hoje em dia gostam dessas coisas? Vai saber…

E na segunda cena que exibiram, deles no lago, a coisa só piora. Principalmente quando a protagonista, dentro do lago, quase agarrada com o Hardin, solta um “Mas achei que você queria ser só meu amigo!”. Foi aí que não contive o riso. Alguém avisa pra ela ou eu mesmo aviso? MIGAAAAA, tu tá SOZINHA com um boy da faculdade, de cueca, tomando banho num lago. Levando em consideração tudo o que você conhece sobre ele e tudo o que já rolou até agora, você achou o que? Que ele queria jogar adedonha (Stop!) com você?

10 minutos não são muita base pra falar sobre um filme inteiro, mas a minha primeira impressão foi essa, dos diálogos pra lá de infantis. Não gostei MESMO, mas vou assistir ao filme completo pra saber se é realmente isso, ou se foram só nessas cenas.

Outro ponto negativo, pra mim, é esse lance de mostrar sempre a menininha indefesa e o cara bonitão forte que todo mundo quer. A gente tá em 2019 e ainda tem gente com essa ideia, e pior, propagando essa ideia pra uma legião de fãs que vão achar isso lindo e maravilhoso. Aliás, não só isso, mas todas as outras atitudes loucas dos protagonistas.

Em um dos momentos fica até ridículo de você olhar a roupa que colocaram a coitada da Josephine pra vestir. Um vestido branco de rendinha que parece até que ela vai pro culto de domingo na igreja, mas na verdade ela tá indo pro meio da floresta com um boy que tem segundas intenções. Me poupe…

Essa é a minha deixa e eu vou parando por aqui porque não quero entrar no assunto “RELACIONAMENTO ABUSIVO”, que inclusive a própria autora do livro parece evitar.

Ah, mas você não gostou de NADA? Nadinha mesmo? Hmmm… Eu gostei de uma coisa sim, viu. A trilha sonora! Pelo menos no trailer deu pra curtir um pouco de “Good For You“, da Selena Gomez, mas aí se você levar em consideração toda essa trama abusiva que “After” carrega, fica evidente a mensagem que querem passar selecionando essa música pra embalar o trailer. Só não vê quem não quer!

AMO Selena Gomez. É uma das minhas cantoras favoritas. Mas “Good For You” já foi muito criticada na internet porque passa uma mensagem bonitinha, mas ao mesmo tempo retrógrada, de que uma pessoa que – independente do sexo – está querendo, segundo a própria letra, mostrar o quão orgulhosa é de ser da outra. Problemática? Talvez. Ainda mais quando misturada na mesma farofa que a trama de “After“, não é mesmo?

Vida que segue e essas são só minhas primeiras impressões com base nos 10 minutos exibidos, imagina quando eu assistir ao filme completo? HAHA

After” chega aos cinemas no dia 11 de abril e você não pode perder, hein! rs

Comentários

Continue Reading
You may also like...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Cinema

To Top
Este post foi visto 434 vez(es).